ConhecimentoGeral

// Definição, referências, fotos e vídeos de termos e assuntos de conhecimento geral //


André, Duque de Iorque: Informações, fotos e vídeos


SM o ReiSM a Rainha

André, Duque de Iorque (nascido André Alberto Cristiano Eduardo, em inglês: Andrew Albert Christian Edward; Londres, 19 de fevereiro de 1960) é um membro da família real britânica por ser o terceiro filho e segundo filho homem da rainha Isabel II do Reino Unido e do príncipe Filipe, Duque de Edimburgo. É o segundo irmão do rei Carlos III do Reino Unido. André é o oitavo na linha de sucessão ao trono britânico.

André serviu na Marinha Real Britânica como piloto e instrutor de helicóptero e como capitão de um navio de guerra. Durante a Guerra das Malvinas, ele voou em várias missões, incluindo guerra anti-superfície, evacuação de baixas e isca de mísseis Exocet. Em 1986, casou-se com Sarah Ferguson e recebeu o título de Duque de Iorque. Eles tiveram duas filhas, a Princesa Beatriz e a Princesa Eugênia. André e Sarah acabaram se separando em 1992 e o divórcio foi oficializado em 1996, e o casamento deles atraíu ampla cobertura da mídia. André atuou como representante especial do Reino Unido para o comércio internacional e investimento por 10 anos até julho de 2011.

André foi acusado de abuso sexual infantil por Virginia Giuffre, que alega que quando menor, ela foi traficada sexualmente para ele pelo financista americano e criminoso sexual condenado Jeffrey Epstein, o que André negou categoricamente. Após intensa reação negativa às suas conexões com Epstein, ele renunciou permanentemente de funções públicas em maio de 2020, e suas afiliações militares honorárias e patrocínios de caridade reais foram devolvidos à rainha em janeiro de 2022. Em janeiro de 2022, André foi acusado formalmente por agressão sexual movida por Giuffre no estado de Nova Iorque, EUA, em Março de 2022, fez um acordo extrajudicial em que pagou uma indeminização em troca da retirada das acusações.

Início de vida e educação

O príncipe André nasceu na Suíte Belga, do Palácio de Buckingham, no dia 19 de fevereiro de 1960, como o terceiro filho e segundo menino da rainha Isabel II do Reino Unido e do príncipe Filipe, Duque de Edimburgo. Ele foi batizado na Sala de Música do Palácio em 8 de abril de 1960 pelo então Arcebispo da Cantuária, Geoffrey Fisher e seus padrinhos foram o Duque de Gloucester e a princesa Alexandra de Kent. Foi nomeado em homenagem ao seu avô paterno, o príncipe André da Grécia e Dinamarca, que morreu 16 anos antes do seu nascimento.

Ele foi o primeiro filho de um monarca reinante desde o nascimento da filha mais nova da rainha Vitória, princesa Beatrice (nome da filha mais velha do príncipe André), em 1857. Assim como os seus irmãos mais velhos, André foi colocado sob os cuidados de uma governanta, que foi responsável pela sua educação inicial no Palácio de Buckingham. Ele foi enviado para a Escola Preparatória Heatherdown, próximo a Ascot, em Berkshire. Em setembro de 1973, entrou para Gordonstoun, no norte da Escócia, a mesma na qual seu pai, e seu irmão mais velho, Carlos estudaram. Enquanto estudava em Gordonstoun, participou de um intercâmbio de seis meses, de janeiro a junho de 1977, na Lakefield College School, no Canadá. Deixou a Gordonstoun dois anos depois com nível A em inglês, história, economia e ciências políticas. Não foi para a universidade, mas ingressou no Britannia Royal Naval College, em Dartmouth.

Serviço militar

Marinha real

A Casa Real anunciou em novembro de 1978 que o príncipe se juntaria à Marinha Real Britânica no ano seguinte. Em dezembro, foram realizados exames e testes esportivos na RAF Biggin Hill, juntamente com testes e entrevistas no HMS Daedalus, e entrevistas no Conselho de Entrevistas do Almirante, no HMS Sultan. Entre março e abril de 1979, o príncipe estava matriculado no Royal Naval College Flight, em treinamento de pilotos, até que foi aceito como piloto estagiário e aceito por 12 anos, a partir de 11 de maio de 1979. Em setembro do mesmo ano, o príncipe foi nomeado aspirante, e entrou no Britannia Royal Naval College.

Depois que saiu de Dartmouth, passou por treinamento elementar de voo, com a Força Aérea Real no RAF Leeming, e depois treinamento de voo na Marinha no HMS Seahawk. Depois de ser premiado com suas “asas”, ele avançou para um treinamento mais avançado no helicóptero do Sea King e realizou treinamento de voo operacional até 1982. Ele ingressou no esquadrão 820 Naval Air Squadron, servindo a bordo do porta-aviões, HMS Invencible.

Ele serviu à Marinha britânica por mais de 20 anos, reporta a revista Hola.

Guerra das Malvinas

As Ilhas Malvinas ou Falkland como são chamadas pelo Reino Unido, são um território britânico ultramarino reclamado pela Argentina, foram invadidas em 2 de abril de 1982, evento que instigou a Guerra das Malvinas. O HMS Invencible era um dos dois porta-aviões disponíveis na época, e desempenhou um papel importante na retomada das ilhas.

O posto do príncipe André a bordo e a chance de o filho da rainha ser morto em combate, deixou o governo britânico apreensivo e o gabinete desejava que o príncipe retornasse e ocupasse um posto seguro até o fim do conflito, porém a própria rainha insistiu para que o filho permanecesse em ação. O príncipe permaneceu a bordo do Invencible para servir como copiloto de helicóptero Sea King. Ele voou em missões que incluíam desde guerra anti-submarina até guerra antisuperfície, chamariz de mísseis Exocet, evacuação de acidentes, transporte e resgate aéreo. E testemunhou o ataque argentino ao SS Atlantic Conveyor.

No fim da guerra o Invencible retornou a Portsmouth, onde a rainha e o príncipe Filipe, se juntaram a outras famílias para recepcionarem a embarcação. O governo militar argentino teria planejado, porém não tentou, assassinar o príncipe em Mustique em julho de 1982. Apesar de ter tido breves tarefas na HMS Illustrious, RNAS Culdrose e na Escola de Serviços Conjuntos de Inteligência, o Príncipe André permaneceu com a Invencível até 1983. O livro de memórias do comandante Nigel Ward, Sea Harrier Over the Falklands, descreveram o príncipe André como “um excelente piloto e um oficial muito promissor”.

Oficial de carreira naval

No final de 1983, André foi transferido para o RNAS Portland e treinado para pilotar o helicóptero Lynx. Em 1 de fevereiro de 1984, foi promovido à categoria de tenente, sendo então nomeado pela Rainha como seu auxiliar pessoal de campo. O Príncipe André serviu a bordo do HMS Brazen como piloto de vôo até 1986, incluindo o destacamento para o Mar Mediterrâneo como parte do Grupo Marítimo Permanente NRF 2. Em 23 de outubro de 1986, o Duque de Iorque (como era até então) foi transferido para a Lista Geral, matriculado em um curso de quatro meses de instrutor de guerra de helicópteros no RNAS Yeovilton, e, ao se formar, serviu de fevereiro de 1987 a abril de 1988 como oficial de guerra de helicópteros no 702 Esquadrão Aéreo Naval, RNAS Portland. Ele também serviu no HMS Edinburgh como oficial de vigia e oficial assistente de navegação até 1989, incluindo um destacamento de seis meses para o Extremo Oriente como parte do exercício Outback 88.

O Duque de Iorque serviu como comandante de vôo e piloto do Lince HAS3 no HMS Campbeltown de 1989 a 1991. Ele também atuou como Oficial da Força Aérea do Grupo Marítimo 1 da NRF, enquanto Campbeltown foi porta-estandarte da força da OTAN no Atlântico Norte de 1990 a 1991. Ele passou no exame de comando da esquadra em 16 de julho de 1991, participou do Staff College, Camberley no ano seguinte, e completou o curso de Staff do Exército. Ele foi promovido a Tenente-Comandante em 1 de fevereiro e passou no exame de comando do navio em 12 de março de 1992. De 1993 a 1994, o Príncipe André comandou o caçador de minas HMS Cottesmore.

De 1995 a 1996, o Duque foi colocado como Piloto Sênior do Esquadrão Aéreo Naval 815, então a maior unidade voadora do Exército Aéreo de Frota. Sua principal responsabilidade era supervisionar os padrões de vôo e garantir uma efetiva capacidade operacional. Ele foi promovido a Comandante em 27 de abril de 1999, terminando sua ativa carreira naval no Ministério da Defesa em 2001, como oficial da Diretoria Diplomática do Estado-Maior Naval. Em julho daquele ano, o Duque de Iorque foi aposentado da Lista Ativa da Marinha. Três anos depois, foi promovido a Capitão Honorário. Em 19 de fevereiro de 2010, em seu 50º aniversário, foi promovido a Contra-Almirante. Cinco anos depois, foi promovido a Vice-Almirante.

Ele deixou de usar seus títulos militares honorários em janeiro de 2022. A ação veio depois que mais de 150 veteranos da Marinha Real Britânica, da RAF e do Exército assinaram uma carta, solicitando que a Rainha retirasse suas nomeações militares honorários em função de seu envolvimento em um caso de agressão sexual civil. Foi relatado que ele ainda manteria seu posto de vice-almirante de serviço.

Fonte e artigo completo: Wikipedia (CC-BY)







 

2023 | ConhecimentoGeral
Disponibilizado nos termos da licença Creative Commons: Atribuição - Compartilhada Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0)

Tempo de execução: 0.07 segundos