Cheque administrativo pode ser endossado?

O que é exatamente um cheque administrativo, quem pode fazer a sua emissão e quais as diferenças dele para o modelo comum? Você sabe o que é a custódia ou o armazenamento de cheques, quem faz este serviço e quando ele pode ser considerado útil. Veja também sobre o cheque administrativo.

» Página Inicial

Apesar de menos utilizados, os cheques ainda são uma forma comum de pagamento, através da cessão de títulos à vista. Existem vários tipos de cheques e formas de usos, algumas das quais, a sua utilização é mais vantajosa e frequente.

Um dos tipos de cheque menos conhecidos é o cheque administrativo. Conheça abaixo quando utilizá-lo e saiba se o cheque administrativo pode ser endossado ou não:

O que é cheque administrativo?

Os cheques administrativos são, assim, como os comuns, cessão de créditos à vista, porém, com fundos do próprio banco. Dessa forma, seu pagamento possui uma garantia maior, uma vez que é emitido pela instituição financeira.

Os cheques Administrativos são outra forma de garantir a segurança ao comerciante. Nesse caso, a segurança do pagamento integral do valor creditado. Utilizados amplamente em transações de alto valor, os cheques administrativos são emitidos pelos próprios bancos, em vez da pessoa física, garantindo o saque ou depósito do valor na data estipulada.

Para ter um cheque administrativo, o cliente deverá ir a qualquer banco e solicitar o serviço, que será cedido desde que a instituição tenha a garantia de fundos para aquele valor. Ao contrário dos cheques normais, os cheques administrativos são debitados no momento da emissão, e não do saque, por isso, é importante que o correntista tenha os fundos já disponíveis em conta.

Normalmente o banco emite um cheque administrativo apenas após se certificar que o cliente terá dinheiro para cumprir com o seu pagamento, a pedido do cliente. Caso o banco não possua essa certeza e garantia, a emissão é negada.

A principal diferença entre um cheque comum e o administrativo, portanto, é que no último, o emissor não é o proprietário da conta, mas a própria instituição financeira e, como consequência, a responsabilidade de pagamento também é do banco.

Essa modalidade de cheques é utilizada principalmente na aquisição de bens ou objetos de alto valor, como imóveis e automóveis, de forma a garantir ao beneficiário a segurança da existência de fundos.

Atualmente, com a popularização de sistemas de transferência online, como TED, DOC e mesmo no Internet Banking, a utilização de cheques administrativos é rara de acontecer, pois sua principal função era a de substituir o transporte do dinheiro em espécie, o que pode ser facilmente garantido através de transferências.

Ao contrário de cheques comuns, quando o emissor precisa ter os fundos no dia marcado para o pagamento, nos cheques administrativos, os fundos devem estar preparados de antemão na conta corrente, pois o valor é debitado no exato momento em que o cheque é emitido (e não sacado).

Por isso, é importante que, antes de solicitar um cheque administrativo, o consumidor certifique de que possui já possui os valores em conta. É possível também solicitar um cheque administrativo em qualquer banco, mesmo se a pessoa não tiver conta lá. Nesse caso, a garantia dos fundos é levada em dinheiro e o pagamento feito no momento da emissão.

O cheque administrativo pode ser endossado?

O cheque administrativo pode sim ser endossado a outra pessoa, desde que não esteja emitido na forma de “não à ordem”. Nesse caso, basta que o beneficiário assine no verso do cheque e escreva o nome do terceiro responsável pelo saque ou depósito por extenso.

Cheque em custódia ou custodiado

Muitas pessoas acreditam que o uso dos cheques esta em seu fim. Com a popularização das diversas formas de pagamento em cartão de crédito, débito e transferências online, os consumidores estão cada vez menos dando preferência aos cheques em suas transações.

Essa despopularizarão se dá principalmente pela menor segurança oferecida pelos cheques e maior possibilidade de sofrerem alterações, como fraudes e falsificações, além da praticidade oferecida pelas outras formas de pagamento.

Por outro lado, os cheques ainda são utilizados em larga escala, especialmente em compra de bens de alto valor, como imóveis e automóveis e, por isso, diversos comerciantes ainda trabalham com grandes fluxos de cheques. Para oferecer maior praticidade e segurança a essas pessoas, existe o serviço de custódia de cheques.

O que é custódia de cheques?

Documento de cheque

A Custódia de Cheques é um serviço oferecido pelos bancos para dar maior segurança e praticidade no armazenamento e gerenciamento de cheques. O Banco guarda os cheques, oferecendo a segurança contra possíveis roubos, furtos, perdas ou avarias causadas por acidentes.

Além do armazenamento, os bancos também se responsabilizam por realizar os devidos depósitos nas datas indicadas de forma automática na conta corrente do beneficiário em questão.

É um serviço bastante prático e que pode ser contratado em qualquer banco onde o proprietário dos títulos possua conta. Para a realização dos serviços, são cobradas tarifas que, em situações de grande fluxo de cheques, compensam a execução.

Para utilizar a custódia de cheques, é preciso que a solicitação seja feita ao banco. Após a ativação do serviço, os cheques podem ser depositados nos caixas eletrônicos, desde que estejam nominais ao correntista e cruzados em favor ao Banco em questão. Nos próprios bancos há o fornecimento de envelopes específicos para o depósito de cheques em custódia.


Veja também: