ConhecimentoGeral

// Definição, referências, fotos e vídeos de termos e assuntos de conhecimento geral //


Constantino I da Grécia: Informações, fotos e vídeos


Constantino I (Atenas, 2 de agosto de 1868 – Palermo, 11 de janeiro de 1923) foi o Rei da Grécia de 1913 até sua abdicação em 1917 e depois de 1920 até sua segunda abdicação em 1922. Era filho do rei Jorge I e de Olga Constantinovna da Rússia. Foi comandante chefe do Exército da Grécia, liderando as forças nacionais na derrota na Guerra Greco-Turca de 1897 e para a vitória na Guerras dos Balcãs de 1912–13, em que conseguiu conquistar a Salonica e dobrar a área e população do país.

Seu desacordo com o primeiro-ministro Elefthérios Venizélos sobre a questão da Grécia entrar na Primeira Guerra Mundial levaram ao Cisma Nacional. Constantino forçou a renúncia de Venizélos em duas ocasiões, porém abdicou do trono e deixou o país em 1917 depois dos Aliados ameaçarem bombardear Atenas. Seu segundo filho, Alexandre, tornou-se o novo rei. Constantino voltou ao trono após a morte de Alexandre, a derrota de Venizélos nas eleições de 1920 e um plebiscito em seu favor. Ele abdicou novamente dois anos depois quando a Grécia perdeu a Guerra Greco-Turca de 1919-22, sendo sucedido por seu filho mais velho Jorge II. Ele morreu quatro meses depois em exílio em Palermo, Itália.

Primeiros anos

Constantino nasceu a 2 de Agosto de 1868 em Atenas. O seu nascimento criou uma onda de entusiasmo: o herdeiro foi o primeiro membro da realeza a nascer em solo grego. À medida que os canhões cerimoniais disparavam, juntou-se uma multidão no exterior do palácio que gritava aquele que achavam ser o melhor nome para o príncipe recém-nascido: “Constantino”. Este era não só o nome do seu avô materno, o grão-duque Constantino Romanov da Rússia, mas também o nome do “rei que reconquistaria Constantinopla, o futuro Constantino XII, o sucessor legitimo do imperador Constantino XI Paleólogo”, de acordo com a conhecida lenda. Ao nascimento recebeu o título de duque de Esparta. Isto fez com que se instalasse uma disputa no parlamento uma vez que a constituição não permitia que fossem atribuídos quaisquer títulos nobílicos a cidadãos gregos, mas a designação puramente titular acabou por ser atribuída. Inevitavelmente, a criança acabou por ser baptizada com o nome de Constantino (em Grego: Κωνσταντῖνος, Kōnstantīnos) a 12 de Agosto e o seu tratamento era Diádochos (Διάδοχος, príncipe herdeiro, literalmente: “sucessor). Os professores universitários mais proeminentes da altura foram escolhidos a dedo para ensinar o jovem príncipe herdeiro: Ioannis Pantazidis ensinou-lhe literatura grega, Vasileios Lakonas ensinou-lhe Matemática e Física e Constantine Paparrigopoulos ensinou-lhe História, infundido-lhe a Megáli Idea. A 30 de Outubro de 1882 Constantino entrou na Academia Militar Helénica. Quando se formou foi enviado para Berlim para ter mais alguma instrução militar e serviu na Guarda Imperial Alemã. Constantino também estudou Ciência Política e actividade comercial em Heidelberg e Leipzig. Em 1890 tornou-se Major-general e assumiu o comando do quartel do terceiro exército (Γ’ Αρχηγείον Στρατού) em Atenas.

Conflitos com Charilaos Trikoupis

Em Janeiro de 1895 Constantino causou alguma agitação política quando ordenou que o exercito e a gendarmaria acabassem com uma manifestação contra as políticas de impostos. Constantino tinha-se dirigido à multidão e recomendado que enviassem as suas queixas ao governo. O Primeiro-ministro Charilaos Trikoupis pediu ao rei para recomendar ao seu filho que evitasse tais intervenções políticas sem consultar o governo primeiro. O rei Jorge respondeu que o filho estava apenas a cumprir ordens quando dispersou os manifestante e que a sua conduta não tinha qualquer significado político. O incidente provocou um debate aceso no parlamento e Trikoupis acabou por se demitir como consequência. Nas eleições que se seguiram Trikoupis foi derrotado e o novo Primeiro-ministro, Theodoros Deligiannis, numa tentativa de acalmar a hostilidade entre o governo e a realeza, deu o assunto por encerrado.

A organização dos primeiros Jogos Olímpicos da era moderna em Atenas foi outra questão que causou um conflito entre Constantino e Trikoupis uma vez que o último era contra a sua realização. A vitória de Deligiannis nas eleições em 1895 fez com que aqueles que estavam a favor do reavivamento dos Jogos Olímpicos, incluindo o príncipe herdeiro, venceram a discussão. Assim, Constantino foi fundamental na organização dos Jogos Olímpicos de Verão de 1896; de acordo com Pierre de Coubertin, em 1894 “o príncipe herdeiro soube com grande prazer que os Jogos serão inaugurados em Atenas”. Coubertin garantiu que “o rei e o príncipe herdeiro serão os patronos da organização deste Jogos”. Constantino fez mais do que isso: assumiu com entusiasmo a presidência do comité de organização dos Jogos Olímpicos de 1896. A pedido do príncipe herdeiro, o empresários abastado George Averoff concordou com a contribuição de aproximadamente um milhão de dracmas para fundar a restauração do Estádio Panathinaiko em mármore branco.

Fonte e artigo completo: Wikipedia (CC-BY)







 

2023 | ConhecimentoGeral
Disponibilizado nos termos da licença Creative Commons: Atribuição - Compartilhada Igual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0)

Tempo de execução: 0.02 segundos