Ponto de equilíbrio na economia. Cálculo, importância e tempo

Perguntas e respostas sobre o que é ponto de equilíbrio em uma empresa, como calcular e quanto tempo demora a alcançá-lo. Veja as diversas informações sobre este importante conceito.

» Página Inicial

O que é ponto de equilíbrio?

Diversas matérias utilizam o termo ponto de equilíbrio. Na química, por exemplo, acontece o ponto de equilíbrio em uma reação quando a proporção das substâncias envolvidas se mantém constantes ao longo do tempo. Mas ponto de equilíbrio é mais comumente utilizado na economia, relacionado à contabilidade das empresas.

Diz-se que uma empresa alcançou seu ponto de equilíbrio quando o total dos valores recebidos possui o mesmo valor do que a quantidade de investimentos feitos. Ou seja, neste momento, a empresa possui um lucro zero, despesas também zero, equilibrando o financeiro.

Por que ele é importante?

Em um primeiro momento, parece que alcançar o ponto de equilíbrio contábil em uma empresa não é assim tão importante, já que o principal objetivo de um negócio é conquistar o lucro. Mas para uma empresa em nascimento e crescimento, a quantidade de investimentos feita costuma ser muito grande e se uma empresa demorar muito para alcançar o ponto de equilíbrio pode ter dificuldades em alcançar o lucro real.

O empresário precisa fazer o cálculo do ponto de equilíbrio antes de abrir o negócio. Só assim ele saberá quando e se alcançará o resultado necessário.

Como calcular?

Ponto de equilíbrio

Para se calcular o ponto de equilíbrio é preciso saber com profundidade, todos os gastos que uma empresa tem. Desde os insumos mais básicos como o pó de café, por exemplo, passando pelo valor gasto com o ponto comercial, reformas, salários e compra de produtos para revenda. Neste cálculo é preciso colocar também todas as contas fixas e variáveis, como aluguel ou condomínio, impostos e quaisquer outras contas. Com este valor em mãos, o empresário deve dividir pelo total da margem de contribuição, que é a margem de lucro que cada produto tem. Com este mesmo cálculo é possível verificar qual a quantidade ideal de produtos devem ser vendidos até se alcançar o ponto de equilíbrio.

Experimente criar uma empresa fictícia para colocar em prática este procedimento. Veja este exemplo e realize os cálculos:

José, 32 anos, casado; está recebendo a última parcela de seguro desemprego – R$ 940,00 – e ainda desempregado, precisando encontrar uma maneira de gerar renda para manter sua família. Após andar pelo bairro onde mora, percebe a distância percorrida pelos vizinhos em busca de uma opção de alimentação – lanche. Resolve montar um negócio de pastéis.

Para o mesmo deverá investir em massa (R$ 8,00), óleo para fritura (R$4,00), guardanapo (R$5,50), recheio para o pastel (R$50,00), tacho para fritar os pastéis (R$ 50,00), gás (R$52,00), fogareiro industrial (R$200,00); isso tudo apenas para começar na garagem de casa, sem contar a energia elétrica, acomodações para os clientes (mesas e cadeiras), marketing de inauguração entre utensílios para manuseio dos alimentos etc. Com tudo calculado, sabemos que este investimento inicial caberá apenas para um final de semana, dependendo do giro de clientes no local.

Vamos lá: R$ 369,50 retirados de sua ultima parcela do seguro desemprego; aqui foram somados valores fixos e variáveis, porém o tacho, o fogareiro industrial e o gás não serão levados em conta para a comercialização da próxima semana, mas sim, o material de insumo para fabricação dos pastéis (R$ 67,50). O valor da venda de seus pastéis está em média de R$ 2,50; vamos pensar que na venda de 27 pastéis pagariam o insumo, zerando o investimento; mas ainda não há lucro e nem foi pago o investimento do material necessário para manter seu negócio. Agora para terceira semana, será necessário substituir o gás, o que onera em R$ 52,00.

Está anotando tudo? Então vamos aos cálculos! Levando em conta que o mês possui 04 finais de semana, José terá um gasto de R$ 374,00 com insumos e gás. Isso equivale a 150 pastéis. Mas ainda não há lucro e nem foram pagos o tacho e o fogareiro – R$ 300,00. Para zerar esta conta, José terá de somar o gasto mensal juntamente a este valor apresentado; divida a soma destes ao valor de venda dos pastéis (R$ 2,50); com isto José terá de vender 270 pastéis no mês, sendo 68 por final de semana, para manter o primeiro mês em equilíbrio.

A partir do segundo mês, seu objetivo de vendas mensal para manter o ponto de equilíbrio será de 150 pastéis. A partir desta prospecção, sem contar qualquer item a incluir como bebidas, por exemplo, José passará a ver os lucros conforme seu objetivo de ganho.

Quanto tempo demora a alcançar o ponto de equilíbrio?

Este tempo não é algo fixo e se difere de um tipo de negócio para o outro. Tudo vai depender do valor investido para a abertura, dos valores das contas fixas e variáveis e também da margem de lucro que é possível colocar em cada produto.

Ressalto aqui a importância do planejamento financeiro para que o empreendedor não tenha “surpresas” no final de cada mês.


 
Veja também: