Tipos de capitalismo: Financeiro e comercial, industrial e informacional

O que é capitalismo e quais os principais tipos, como o informacional, industrial, comercial e financeiro. Quais são suas principais características de cada um, como eles surgiram e como funcionam.

» Página Inicial

O capitalismo pode ser visto como uma ideologia ou um sistema onde o capital é que concentra a ideia da propriedade privada e os meios de produção como fonte de obtenção do lucro.

O Dicionário Eletrônico Pliberam, define como sendo: "Influência ou predomínio econômico ou político do capital".

Esta me parece uma ótima definição, pois é exatamente a partir do ponto de vista econômico e também político que ele deve ser visto, uma vez que o mercado de capitais é livre, mas os governos exercem poder político para regular as atividades produtivas, com taxação de impostos, protecionismo de mercado e outros instrumentos reguladores.

Mas o assunto precisa ser melhor analisado e para isso, uma das formas é tentar dividir em categorias ou tipos, já que isso é possível. Uma das possíveis divisões pode ser feita em: comercial, industrial, financeiro e informacional.

Capitalismo comercial

navio cargueiro

O Capitalismo comercial surgiu no final do feudalismo, em torno de 1500 d.c. com as grandes navegações e expansões marítimas, são suas principais características: a busca pelo lucro, uso de mão-de-obra escrava ou assalariada, substituição do modelo de troca pala utilização de moeda, fortalecimento da burguesia e desigualdade social.

Atualmente, o capitalismo comercial pode ser sentido de maneira muito intensa naquilo que chamamos de consumismo. A economia dos países depende essencialmente do consumo e além de existir o desejo da população em consumir, existe também o incentivo do governo ao consumo pois isso estimula a economia, gera empregos e sobretudo mantêm a máquina pública através do pagamento de impostos que são gerados pelas transações comerciais.

De certa forma, quanto mais as pessoas consumirem melhor para o país em termos econômicos. Não é à toa que o governo promove diversos meios para estimular a renda das pessoas pois sabe que isto irá se traduzir em maior consumo e aquecimento econômico.

Capitalismo industrial

Fábrica

O Capitalismo industrial teve início com a revolução industrial indo do século XVIII até meados do século XIX com a segunda revolução industrial, suas principais características são: geração de renda a partir das atividades industriais (principalmente tecelagens), exploração da mão-de-obra assalariada, avanço nos meios de produção com o uso de carvão como fonte de energia e ferro como matéria prima, crescimento desordenado das cidades e êxodo rural.

Atualmente o capitalismo industrial e de certa forma aquele que movimenta ou o que fomenta o comércio, afinal dependemos muito de produtos industrializados e quando falamos em capitalismo comercial, este não existiria se não fosse o industrial.

Máquinas, equipamentos, automóveis, eletrônicos, produtos para casa, alimentação e uma outra infinidade de produtos são de natureza industrializada. Com isso, a indústria é aquela que fomenta todo o restante do sistema econômico desde o comercial, o financeiro e por último até o informacional.

É preciso salientar o fato de as indústrias terem modernizado muito e as leis trabalhistas terem evoluído de maneira significativa, especialmente no ocidente. Isto foi necessário para que pudéssemos aumentar a produção e promover qualidade de vida no ambiente de trabalho.

Capitalismo financeiro

Dólar americano

O Capitalismo financeiro surgiu no século XIX e está diretamente ligado a com o crescimento econômico que se deu principalmente pela divisão das empresas em ações e pela união entre o capital industrial e o capital bancário. Suas características são: forte presença de empresas monopolizadas, procura do lucro expressivos no mercado financeiro, fortalecimento do sistema de empréstimos e financiamentos, da bolsa de valores, aumento da importância dos bancos no cotidiano das pessoas e das empresas, aumento da especulação financeira nos mercados.

A atividade bancária é extremamente forte no mundo e no Brasil não é diferente.

Atualmente o capitalismo financeiro chega ser selvagem em algumas situações, isto ocorre em função de uma corrida desenfreada pelo capital, que no nosso tempo é marcado pelo uso da moeda seja ela em espécie, mas principalmente através das transações eletrônicas.

Atividade bancária tornou-se o centro de toda a economia de um país, concentrando a quase totalidade dos recursos que são movimentados dentro das transações comerciais em um país.

Conglomerados financeiros gigantescos foram criados, fundos de investimentos que acumulam fortunas imensas e uma dependência enorme da moeda seja ela para grandes transações comerciais, bem como para as movimentações comuns do dia-a-dia.

Vale lembrar que em tempos de internet as transações têm se tornado virtuais, isto é sem o envolvimento de espécie em moeda, mas através de informações financeiras que conectam os sistemas bancários e permitem que pessoas façam pagamentos de maneira virtual, transferindo o dinheiro da suas contas para outras sem a intervenção em espécie ou sem a necessidade de intervenção de um operador físico.

Capitalismo informacional

Informação tablet

O início do capitalismo informacional é motivo de controvérsia, mas ele corresponde ao período econômico e social que estamos vivendo, é marcado pelo avanço das tecnologias da informação, da globalização, está centrado no conhecimento e na gestão dele. Suas características são: a relevância dos computadores em especial aos conectados a internet, a utilização de mão-de-obra especializada e qualificada, valorização de empresas que fornecem conhecimento conectados a expansão tecnológica (computadores, smartphones, videogames, notebooks, softwares, aplicativos, mídias sociais, etc), crescimento da dependência tecnológica.

Ignorar o capitalismo informacional é ignorar a própria realidade, isto porque a informação se tornou algo tão relevante quanto as máquinas, propriedades e commodities já foi ou ainda continua sendo para muitas pessoas.

Existem atualmente empresas que todo o seu patrimônio está concentrado em informação, se elas perderam os seus bancos de dados, teoricamente teriam perdido praticamente tudo. Isto não é pouco e precisa ser levado em consideração já que a informação hoje pode ser medida em valor comercial.

Assim, o capitalismo informacional parece assumir um papel fundamental para as novas e futuras gerações e de certa forma terá tanta relevância como teve a revolução industrial ou a revolução comercial através da globalização nas últimas décadas.

Por Redação, Maria Luisa Marques Vasconcelos e Redaweb


 
Veja também: