Tipos de cheques: Ao portador, cruzado, pré-datado, administrativo e mais

Perguntas e respostas sobre tipos de cheques, como cheque ao portador, cruzado, pré-datado, administrativo, nominal, endossado e especial. Veja as características de cada um deles e a definição para cada termo.

» Página Inicial

O cheque é um documento de natureza financeira de grande valor para a nossa sociedade. Com ele é possível realizar diversos tipos de pagamentos e é um dos principais instrumentos de pagamentos nas empresas, por exemplo.

Ele é emitido a pessoas que tem conta corrente em um banco comercial, e ele pode ser usado por pessoas físicas ou jurídicas. Ao abrir a conta você recebe um talão com 20 folhas e cada folha ou cheque preenchido é uma ordem de pagamento que você emite para que o banco possa debitar o valor na sua conta corrente e efetuar o pagamento que pode ser ao portador ou via compensação.

Mas existem vários tipos de cheques ou várias nomenclaturas para certos usos dele. Vejamos abaixo as principais:

folha de cheque

Cheque cruzado

Esse tipo de cheque determina que o mesmo não pode ser sacado direto na boca do caixa, podendo apenas ser depositado em conta corrente. Para cruzar um cheque é fácil, basta o emissor fazer de caneta dois traços paralelos e diagonais na folha. Geralmente, os dois traços são feitos no canto superior esquerdo do cheque, mas eles podem estar em qualquer lugar, até no centro da folha.

Cheque administrativo

É um tipo de cheque feito para ser utilizado apenas em situações especificas de pagamentos de alto valor, já que é emitido pelo próprio banco para garantir que o mesmo tem fundos.

Cheque pré-datado

Ao contrario do cheque administrativo que é pouco utilizado, esse tipo de cheque é bastante disseminado como forma de pagamento. Apesar de legalmente não existir, o cheque pré-datado funciona como uma espécie de acordo. Nesse acordo, o emissor preenche o cheque com uma data futura e o beneficiário só desconta a folha nessa data.

Cheque especial

Esse funciona menos como uma forma de pagamento e mais como uma espécie de crédito pré-aprovado oferecido aos clientes pelas instituições bancárias. Caso o correntista emita um cheque sem saldo suficiente na conta dentro do limite do cheque especial, o banco empresta o dinheiro e cobre o cheque, cobrando juros posteriormente.

Cheque endossado

É uma forma de passar um cheque nominal adiante. Para endossar um cheque, basta o beneficiário e do mesmo assinar e colocar o nome de um terceiro atrás da folha, permitindo que este saque o valor ou deposite o cheque em sua conta corrente.

Cheque nominal

Possui lógica contrária a do cheque ao portador e é mais utilizado para pagamentos de altos valores em virtude de ser mais seguro. Nesse caso, a folha traz o nome do beneficiário escrito no local adequado do cheque. Isso significa que o cheque só pode ser sacado pelo beneficiário ou depositado em sua conta corrente. De acordo com a Febraban, todo cheque acima de R$ 100 deve ser nominal.

Cheque ao portador

Nesse tipo de cheque, não existe definição de beneficiário, ou seja, qualquer pessoa pode sacá-lo ou passar a folha para terceiros. Geralmente, esse tipo de cheque é usado para pagamentos de pequenos valores. Segundo regras da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o cheque ao portador só é válido para valores até R$ 100.

Cheque sem fundo

Ele recebe este nome quando é depositado e é devolvido pelo banco por falta de fundos ou recursos na conta que sejam suficientes para efetuar o pagamento do mesmo. Quando uma pessoa emite um cheque é necessário garantir que exista saldo suficiente na conta para o devido pagamento. Se por alguma razão não houver, quando o cheque for compensado, ele será devolvido com motivo 11 - cheque sem fundo.

Como funciona o limite de crédito ou cheque especial?

A definição de cheque especial refere-se à situação que ocorre quando um indivíduo ou empresa não possui fundos suficientes em sua conta para cobrir uma transação e o banco paga de qualquer maneira

Você pode fazer isso com cheques, compras com cartão de débito, pagamentos de contas automáticos, transações de caixas eletrônicos ou saques eletrônicos.

Conhecer completamente o limite de cartão de crédito e usar corretamente significa um pequeno esforço para entender alguns conceitos, incluindo o limite de crédito.

Infelizmente, nem todos os portadores de cartão e contas bancarias se preocupam em saber disso e acabam cometendo erros que afetam as dívidas.

Limite cheque especial

Qual é o limite de crédito de um cartão?

O limite de crédito é o saldo máximo concedido pelo banco no momento da aprovação do cartão. Em outras palavras, é o limite de dinheiro que você possui e diminuirá durante o mês até atingir o limite estipulado.

Quando o prazo de pagamento chegar e você pagar sua dívida total ou parte dela, o limite de crédito será redefinido (dependendo do valor pago) e será possível recuperar o acesso ao dinheiro. Isso é conhecido como linha de crédito rotativa.

Aqui está um exemplo para entender melhor: se Erick tiver um limite de R$ 12.000 e gastar R$ 4.000 em serviços, R$ 3.000 em compras pessoais e R$ 3.000 em passeios de final de semana, ele terá apenas R$ 2.000 disponíveis (já usados R$ 10.000) até que a dívida seja liquidada.

Como é definido o meu limite de crédito?

O emissor do cartão (instituição bancária) estabelece o limite de crédito para que o usuário não incorra em maiores despesas e assuma dívidas que ele não poderá pagar mais tarde.

É importante esclarecer que ele é atribuído individualmente, portanto, duas pessoas que aparentemente 'se qualificam' para o mesmo tipo de cartão, não têm necessariamente o mesmo limite de crédito.

Cada banco tem suas próprias regras para defini-las. Alguns fatores que levam em consideração para tomar sua decisão são:

Antes de solicitar ou aceitar um aumento no seu limite de crédito, considere que ele também aumentará seu pagamento mínimo. Se você aceitou ou solicitou uma linha superior, não precisa usar tudo. Caso contrário, não há risco de ser reduzido. O preço de um produto não deve exceder sua linha de crédito. Não importa se você o comprou meses sem juros e seus pagamentos, já divididos, são inferiores ao seu limite.

O que é um cheque especial?

O conceito de cheque especial leva em consideração pagamentos feitos pela entidade financeira que excedem o saldo do titular da conta.

Quando uma empresa ou pessoa física abre uma conta corrente com um valor específico, ela tem a possibilidade de emitir cheques com valor igual ou inferior ao que possui em seu saldo, mas em alguns casos o banco permite que você faça cheques com valor superior ao saldo da conta e é lá quando o cheque especial do banco ocorre.

Por exemplo, uma conta com 1.000 reais é aberta. Entendemos que não é possível emitir cheques acima desse valor, mas se o banco o autorizar, por exemplo, cheques no valor de 1.200 reais poderão ser sacados, onde o cheque especial será de 200 reais.

Portanto, o que em princípio era um ativo acaba se tornando um passivo. O cheque especial refere-se à cota de crédito que a instituição financeira aprova do detentor e, no caso de ser utilizada, torna-se um passivo.

Como funciona um cheque especial?

Com o cheque especial, o que é realmente alcançado é que o banco concede um empréstimo, mesmo que demore apenas alguns dias para cobrir o cheque especial. Essa situação implica uma despesa bastante alta em relação ao valor e duração da dívida.

O banco receberá juros por uma série de conceitos, como passar do saldo positivo para o negativo e independentemente da duração do cheque especial, um interesse anual como em qualquer crédito e uma comissão mínima, independentemente do montante da dívida. Cheque especial ou cartão de crédito é preciso ter cuidado.

Por Redação e Maria Luisa Marques Vasconcelos


Veja também: