Qual o significado de Crédito e débito e seu uso no mercado

O que é crédito e débito? Como o mercado financeiro trata os dois termos? Qual o significado de empréstimo e financiamento? Veja a nossa FAQ que dá as respostas e as explicações.

» Página Inicial

Crédito ou débito? Esta é a pergunta oficial em qualquer estabelecimento quando você vai usar o cartão para efetuar o pagamento. Neste caso ela está perguntando se você irá usar a função cartão de crédito ou de débito, mas o conceito e a aplicação desses dois termos vai muito além deste exemplo que citei.

O que é crédito?

O termo crédito vem do latin “credit” e está relacionado com confiança. Quando alguém empresta alguma coisa ele deposita confiança de que irá receber de volta o item emprestado, bem como o valor do aluguel, isto quando aplicável. No campo financeiro o termo é muito empregado para as operações de empréstimos e financiamentos que os bancos e demais instituições financeiras disponibilizam a seus clientes.

A pessoa ou a instituição que empresta dinheiro é conhecido como credor pois acredita ou crê que receberá de volta o que foi emprestado.

Mas há outros casos onde o termo crédito pode ser empregado, como nos exemplos abaixo:

É importante destacar que o termo é oficialmente usado na contabilidade, assim como o débito também. Na verdade um plano de contas contábeis, nada mais é do que um monte de termos diferentes para operações de débito e crédito.

Máquina de cartão

O que é débito?

Débito é o oposto de crédito e o termo está associado a dívida, que pode ser financeira ou mesmo de outras naturezas. No Brasil há uma cultura muito forte de comprar a prazo e é muito comum as pessoas ao receberem seus salários, uma grande fatia, quando não totalmente, é usado para cobrir as dívidas ou os débitos já contraídos.

Apesar de estar relacionado, algumas pessoas diferenciam débitos de dívidas. Em alguns casos pode-se definir o débito pode ser associado a um compromisso de pagamento que ainda está dentro do prazo, enquanto que a dívida é quando extrapola o prazo e não houve o pagamento.

Como o mercado financeiro trata os dois termos?

Crédito e débito é o que movimenta o mercado e constantemente as instituições ou profissionais envolvidos estão realizando operações dessas duas naturezas. A lógica dos envolvidos é simples: oferecer crédito mais caro e contrair débitos mais barato. Aqueles que fazem isto de maneira mais eficiente lucram mais.

Qual o significado de empréstimo e financiamento?

Embora sejam operações de crédito, há uma pequena diferença entre eles em seu significado mais prático. Empréstimo está associado a um crédito sem uma destinação específica, podendo ser usado para a compra de um carro, compras, uso pessoal e outros. Já o financiamento está atrelado a um fim específico, como a compra de uma casa ou um maquinário, por exemplo. No caso do financiamento o dinheiro é destinado diretamente ao vendedor.

Cartões de crédito e débito

Talvez o exemplo mais visível hoje sejam os cartões que os bancos e operadoras oferecem a seus clientes. Normalmente esses cartões são de crédito, débito ou as duas coisas juntos. Eles se tornaram muito comum e representam boa parte do pagamento de compras em lojas físicas e virtuais.

Perguntas e respostas

O que você entende sobre nome sujo na economia social?

É quando uma pessoa se utiliza de seu CPF para fazer contas a crédito no comércio, tanto em compromissos de carnes e também em compromissos com cartão de crédito e deixa de pagar(honrar) os compromissos. Seu nome fica nos registros de devedores até que a conta seja paga, negociada ou é excluída no final de 5 anos.

O que você acha desse tempo estipulado pela Lei do consumidor, cinco anos onde a pessoa fica impedida de comprar a crédito?

Penso que é uma faca de 2 cumes. É uma proteção para o comércio em geral para que a pessoa deixe de dar prejuízo a outros comércios; mas, acho que o próprio comércio perde com isso. Se a pessoa ficasse limitada apenas na loja que ela deve, deixando as outras livres, sem que houvesse um cadastro único de SPC, a pessoa poderia negociar com a loja e o comércio continuaria girando naturalmente.

Crédito

Você não acha que cadastrar a pessoa no SPC (serviço de proteção ao crédito) é uma forma de fazê-la pagar a dívida?

Como eu disse, acho que é mesmo uma faca de 2 cumes. Quem não quer pagar não paga. O problema do não pagamento da dívida muitas vezes são juros abusivos cobrados pelo atraso, como é feito nos cartões de créditos ou nos empréstimos bancários. a pessoa até quer pagar, as vezes passou por um desemprego inesperado, um problema inesperado que prejudicou seu orçamento e quando vai atrás do prejuízo, o banco é o primeiro a negar ajuda para o cliente, ele imputa juros altíssimos, é onde a pessoa deixa de pagar e seu nome fica comprometido tanto no SPC como no SERASA.

Qual seria a solução para que a pessoa não tenha seu nome sujo?

Primeiro claro, não comprar além do que pode pagar. Segundo, fugir de empréstimos bancários. Terceiro, tentar negociar sempre que tiver um problema com seu pagamento. Quarto, que as empresas e financiadoras que cederam o financiamento de parcelamento baixassem os juros, facilitassem o pagamento, entendendo que a pessoa tem intenção de pagar, não está fugindo à dívida. Melhor é ter o pagamento com uma certa margem de prejuízo do que um inadimplente na praça por 5 anos.

Mas e se a pessoa inadimplente já tem o habito de comprar e não pagar?

Esse é um caso de difícil averiguação. Como diz o ditado antigo, a ocasião faz o ladrão. Eu conheço uma pessoa que já teve seu nome na lista dos inadimplentes do SPC por 3 vezes e não foi por vontade própria. Por 15 anos ela não conseguiu limpar seu nome. Só quando passou a morar sozinha, ai sim, nada mais de errado aconteceu na vida dela, ela não tinha mais ninguém na sua responsabilidade, aprendeu a não emprestar mais seu nome para ninguém e não teve mais esse problema.

Você acha que emprestar o nome para alguém fazer compras também é grande motivo de sujar o nome?

Sem dúvida, a má fé das pessoas entra em contato com a boa fé e o desastre acontece. Por de traz de uma boa intenção de emprestar o nome, sempre existe uma má intenção de tirar proveito. A maneira de perceber isso é ver se a pessoa dá algum dinheiro de entrada para amortizar as parcelas. Quem tem boa intenção, trata as parcelas como se realmente fosse paga-las, como não é o caso, compra a vontade e depois compromete o nome da pessoa que emprestou o nome.

Existe outros meios de sujar o nome que não seja o comercio?

Sei que o ramo imobiliário também está se utilizando do SPC tanto para alugar como para cobrar os inadimplentes também.

Por Redação e Jucimara Aparecida da Cruz Ferraz


Veja também: